Mapa do siteContactosPesquisaLinks

Laboratório

As perguntas andam no ar... 

Fará sentido continuar a comer maçãs vindas da Argentina e kiwis transportados de avião desde a longínqua Austrália?
Terão as cidades capacidade de produzir os seus próprios alimentos?
E serão os solos das grandes cidades os mais indicados para a agricultura?
Será que a agricultura vai mesmo estar “na moda” nas grandes cidades do futuro?



Investiga:
Como são os solos na região onde moras?
Serão as suas características compatíveis com a prática da agricultura?

Muitos cientistas defendem a ideia de que devemos consumir produtos frescos originários na região onde moramos.
A justificação está nas grandes quantidades de CO2 produzidas para transportar frutas e legumes de países longínquos.
Também há quem defenda que a produção mais próxima do consumidor garante maior qualidade aos alimentos.
Propomos-te que selecciones alguns terrenos da região onde moras e tentes investigar quais os solos mais e menos compactos.
Esta é uma das características mais importantes quando falamos de agricultura, já que por várias razões, os solos compactos são muito menos viáveis em termos agrícolas:
- um solo compacto dificilmente é perfurado por minhocas e outros animais que arejam
   os terrenos;
- poucos seres vivos conseguem viver em solos compactos, onde é muito difícil obter
   oxigénio e alimento, o que torna os solos mais pobres;
- para além disso, num solo seco e duro é também muito difícil que as raízes das plantas
   se fixem.




Experimentar não custa…

 
Material
- Agulha de tricôt (fina mas comprida)
- Carrinho de linhas (largo e com furo no centro)
- Fita métrica
- Marcador
- Elástico de borracha
 
Acção!
1.
Enfia a agulha no carrinho de linhas (com a ponta mais afiada para baixo), na direcção do tampo de uma mesa. Com o marcador, faz um traço indicando a altura do carrinho de linhas na agulha. Esta marca será considerada o nível 0.
 
2.
Agora enrola o elástico à volta da agulha, na parte superior. Deve ser bem enrolado, para que desça apenas quando empurrado. Vais usar este elástico para marcar a profundidade das tuas medições.
 
3.    
Escolhe diferentes locais (jardins, terrenos sombrios, zonas com muito sol, zonas húmidas, zonas secas) e descreve-os brevemente num quadro de registos (localização, tipo de solo, grau de humidade, presença de plantas, etc).
   
Local  Descrição   Medida (cm)
1    
2    
3    
4    
 
4.    
Em cada um dos locais escolhidos, introduz a agulha no terreno.
Faz pressão na agulha até ela deixar de se enterrar no solo.
 
5.    
Agora desce o elástico até ao topo do carrinho
de linhas. Retira a agulha     e mede, com a régua,
a distância entre o nível 0
e o sítio onde está o elástico.
 


Tira conclusões:
- Em que locais o solo é mais e menos compacto?
- O que pode tornar um solo mais ou menos compacto? (Pistas: zonas muito pisadas,
   presença de plantas, tipo de solo…)
- O que pode ser feito para melhorar os solos mais compactos em termos agrícolas?

Se o tema te interessa…
Tenta perceber a relação entre a água e os solos compactos.
Escolhe um solo seco e molha-o (em diversos locais) com diferentes quantidades de água Recolhe amostras. Compacta o solo em cada amostra (podes usar uma colher de calcar o café para tal). Mede cada amostra com a agulha, seguindo o processo já descrito.

Filma ou fotografa as tuas experiências. Envia-nos as imagens e as conclusões mais importantes a que chegaste.
Diz-nos … na tua cidade, onde farias a tua horta?

 

Créditos
Sara Agee, Ph.D., Science Buddies
Brynie, F.H., 2005. Parent's Crash Course: Elementary School Science Fair Projects, Hoboken, NJ: Wiley Publishing Inc. pp 165-168.